Conheça tudo sobre a Cirurgia Ortognática

Conheça tudo sobre a Cirurgia Ortognática

Ultimamente, a cirurgia ortognática cresceu bastante dentro do cenário da Odontologia, e sua procura também. São muitos aqueles pacientes que procuram o cirurgião dentista, muitas vezes por questões estéticas, querendo realizar tal procedimento.

A verdade é que muitos procuram a cirurgia ortognática apenas para corrigir uma anomalia dentofacial, ou seja, um incorreto posicionamento dos dentes que pode provocar algumas alterações na face do paciente.

Mas você sabia que a cirurgia ortognática não se resume a apenas manter a estética de um sorriso bonito? Pois é, por mais que muitos procurem a cirurgia ortognática para ter um rosto considerado perfeito (muito influenciado pelas redes sociais), esse procedimento cirúrgico tão famoso é, também, extremamente importante e responsável por devolver saúde, função e garantir bem-estar total ao paciente.

De uma forma bem geral, a cirurgia ortognática é um procedimento feito para corrigir diferentes anomalias dentofaciais e, assim, trazer estética, função e, em muitos casos, livrar o paciente das intermináveis dores presentes ao mastigar um simples alimento, estalos na articulação temporomandibular ou, ainda, zumbidos nos ouvidos.

Pois bem, a cirurgia ortognática é uma ferramenta para transformar vidas de diferentes formas! Mas você sabe para que ela serve? Quais são suas indicações? Não? Então você está no lugar certo! Conheça tudo sobre a cirurgia ortognática, e as transformações que ela pode causar na vida de quem precisa!

O que é a cirurgia de ortognática?

A cirurgia ortognática é um procedimento realizado dentro de um centro cirúrgico, pelo cirurgião bucomaxilofacial, com o objetivo de corrigir todas as alterações que a mandíbula e a maxila podem sofrer por conta de alterações dentárias ou de desenvolvimento.

Todas essas alterações presentes nos dentes ou nos ossos maxilares, provocam não só mudanças estéticas no rosto do paciente como, também, pode trazer inúmeros prejuízos de função como, por exemplo, dificuldades e problemas durante a mastigação de alimentos, dores perto do ouvido ou na articulação temporomandibular, apneia do sono, estalos ou zumbidos no ouvido.

O que é a cirurgia de ortognática
Fonte/Reprodução: original

Esses problemas de crescimento na maxila ou na mandíbula, que necessitam de diagnóstico e de tratamento com a cirurgia ortognática, podem estar relacionados diretamente com uma questão hereditária, ou seja, genética, ou então com hábitos diários que estão presentes desde a infância.

De qualquer forma, é extremamente importante que essa condição seja diagnosticada bem cedo para que, então, seja tratada de forma multidisciplinar com o cirurgião-dentista, através da cirurgia ortognática corretamente planejada em conjunto de outras técnicas, como o uso de aparelhos ortodônticos e que tenha bons resultados associados com um excelente prognóstico.

Para que serve a cirurgia de ortognática?

A cirurgia ortognática tem como principal função corrigir, através de um procedimento realizado dentro de um centro cirúrgico com anestesia geral, a estética facial (proporcionando uma harmonização dos ossos maxilares) e toda a função mastigatória, de forma que seja funcional, saudável e que proporcione bem-estar ao paciente.

Ou seja, o procedimento da cirurgia ortognática é utilizada na correção de diferentes deformidades dentofaciais, que vão desde um leve a, até, um exagerado crescimento da mandíbula ou da maxila.

Essas deficiências podem provocar inúmeras consequências negativas no dia-a-dia do paciente, como a apneia obstrutiva do sono, dores de cabeça, problemas na articulação temporomandibular, e muito mais.De acordo com a anomalia óssea diagnosticada na clínica odontológica, o correto planejamento da cirurgia ortognática será devidamente realizado.

Dentre os principais problemas que necessitam de cirurgia ortognática, temos o prognatismo (quando a mandíbula é grande ou o maxilar é menor do que deveria), retrognatismo (quando a mandíbula é pequena), assimetria facial (quando os maxilares são tortos), atresia maxilar (que provoca mordida cruzada posterior ou, então, maxilares estreitos) ou disfunções nas articulações temporomandibulares.

Essas condições podem surgir tanto de forma genética como, então, por hábitos como chupar chupetas ou mamadeiras desde cedo. Por isso, é importante diagnosticar a condição de forma precoce e entender o que está causando a situação.

Quando diagnosticamos a situação de forma precoce, logo no paciente pediátrico, podemos fazer uso de aparelhos ortodônticos ou ortopédicos para ajudar no seu correto desenvolvimento facial, afinal, os ossos são mais fáceis de serem remodelados por estar em seu crescimento fisiológico.

Entretanto, quando diagnosticado de forma tardia no adulto, somente a ortodontia não será o suficiente para corrigir as anomalias faciais, pois esse crescimento fisiológico dos ossos maxilares já terão se encerrado. Logo, a cirurgia ortognática é a melhor opção para o tratamento delas.

Como funciona uma cirurgia de ortognática?

Quando o correto diagnóstico é feito pelo ortodontista e pelo cirurgião bucomaxilofacial, sabemos qual é a principal causa dessa deformidade dentofacial, e assim, se inicia todo um planejamento para a sua correção.

Nesse planejamento para a posterior cirurgia ortognática, é realizada uma simulação através de softwares, para que o cirurgião bucomaxilofacial possa ter noção e saiba o que deve ser feito, de forma guiada, durante o procedimento.

Como funciona uma cirurgia de ortognática
Fonte/Reprodução: original

Dependendo dos casos, pode ser feito uma correlação entre o uso de aparelho e a cirurgia ortognática. Nesse caso, o aparelho em si tem uma função pré-operatória de modificar as arcadas dentárias e modificar a oclusão entre elas. Então, realizamos a cirurgia ortognática.

O procedimento é feito dentro de um centro cirúrgico e sob anestesia geral. Durante a cirurgia, é realizada um realinhamento das estruturas ósseas na maxila e na mandíbula, onde para isso utilizamos brocas cirúrgicas, serras para osso, placas de titânio ou, então, parafusos para fixar bem a nova posição dos ossos.

A cirurgia ortognática realizada depende com o diagnóstico feito anteriormente, e pode ser para avançar os ossos maxilares, corrigir o sorriso gengival do paciente, avançar ou recuar o osso da mandíbula, assim como podemos também expandir a maxila ou, então, realizar uma mentoplastia.

E já que falamos um pouco do procedimento, que tal mencionarmos rapidamente o pós-operatório da cirurgia ortognática? A recuperação após o procedimento é realizada em repouso total, com normalização das atividades de forma bem gradual. E é extremamente importante que, nos primeiros 2 dias, o paciente deve ficar em repouso absoluto, sem realizar nenhum tipo de atividade física.

Devemos fazer com que o paciente evite esportes ou atividades físicas por um mês, e o acompanhamento odontológico deve ser realizado mensalmente.

Quanto custa uma cirurgia de ortognática?

A grande dúvida por quem procura a cirurgia ortognática, é a respeito do seu custo. De uma forma geral, o valor do procedimento varia de cirurgião para cirurgião – afinal, cada um estipula um preço de acordo com o seu tempo clínico e com a atuação da sua equipe de cirurgiões.

Mas, em uma média geral, uma cirurgia ortognática custa de 13 mil reais a, até 30 mil. Porém, por se tratar de uma cirurgia estética e corretiva, pode ser disponibilizada também na rede pública através do Sistema Único de Saúde (SUS).

Qual é o especialista que lida com esse tipo de cirurgia?

Há dois tipos de especialistas dentro da Odontologia que atuam na cirurgia ortognática: o Ortodontista e o Cirurgião Bucomaxilofacial.

O ortodontista é responsável por ajudar no diagnóstico da maloclusão e deformidade dentofacial, assim como também, pode indicar o uso de aparelho ortodôntico como coadjuvante pré-operatório para corrigir a deficiência de oclusão do paciente. Enquanto isso, o bucomaxilofacial atua diretamente na cirurgia ortognática e no acompanhamento desse paciente.

A cirurgia ortognática é um dos procedimentos mais visados por qualquer paciente, e por isso merece grande atenção por parte dos cirurgiões bucomaxilofaciais, principalmente no que diz respeito às suas indicações, ao seu devido planejamento e à sua execução.