Quais são os tópicos mais cobrados para a residência bucomaxilofacial

Quais são os tópicos mais cobrados para a residência bucomaxilofacial?

Muitas pessoas entram na Odontologia já querendo seguir a carreira de Cirurgia Bucomaxilofacial, mas, para isso, é necessário se preparar bastante e estar atento aos mais diferentes editais ocasionalmente abertos para as residências.

Porém, muitos têm dúvidas sobre o que a Cirurgia Bucomaxilofacial oferece, assim como quais são os benefícios de cursar uma residência ou como se preparar para as tão temidas provas, dos mais diferentes serviços ao redor do país.

E a verdade é que a Bucomaxilofacial cresce a cada ano que passa, e inúmeros estados do Brasil possuem uma residência na especialidade, inclusive vários ainda contam com uma bolsa ofertada pelo Ministério da Educação. O que é uma excelente oportunidade na área, principalmente para garantir o título de cirurgião bucomaxilofacial e para trazer estabilidade aos recém-formados.

Entretanto, muitos ainda têm dúvidas sobre como começar a estudar para a residência em Bucomaxilofacial, assim como sobre inúmeras questões relacionadas à carreira, aos benefícios de cursar uma residência ou especialização e sobre quais são as oportunidades que essa grande área da Odontologia apresenta no mercado de trabalho.

Para ajudar você nessas questões, separamos os principais tópicos cobrados nas mais diferentes provas para Bucomaxilofacial, assim como informações relevantes sobre a carreira. Confira!

O que é a residência bucomaxilofacial?

A residência em Bucomaxilofacial é, nada mais, do que uma modalidade de ensino presente dentro dos cursos de pós-graduação da Odontologia, que dará o título de Cirurgião Bucomaxilofacial a quem concluir todo o programa educacional estabelecido.

Geralmente, o programa de residência em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial está presente e ocorre em diferentes instituições de ensino em saúde que funcionam como um Hospital Universitário.

O que é a residência bucomaxilofacial
Fonte/Reprodução: original

Para entrar, o cirurgião-dentista precisa prestar uma prova com os principais tópicos voltados para a área de atuação e passar pelas diferentes etapas estabelecidas no edital de ingresso, que varia de programa para programa.

Os alunos do curso realizam atividades práticas nos locais de ensino sob supervisão e devida orientação dos Staffs, ou seja, atendentes ou preceptores do serviço. No geral, os programas de residência oferecem bolsas de ensino pelo Ministério da Saúde (MEC) para quem ingressar no curso que, atualmente após um reajuste, paga cerca de R$ 4.106,09.

Os cursos de residência em Bucomaxilofacial apresentam uma carga horária mínima de 60 horas semanais, com um total de 2880 horas anuais, e divide o seu cronograma em 20% de conteúdo teórico e 80% de horas práticas dentro das unidades de saúde.

A prova de residência tem um formato diferente da especialização, onde não se tem uma definição de carga horária máxima e, a mínima, é de 360 horas, a qual os alunos precisam pagar para concluir o curso de pós-graduação, com mensalidades que podem variar de acordo com cada instituição de ensino.

Para que serve a residência bucomaxilofacial?

A residência tem como o objetivo principal preparar o aluno de pós-graduação e torná-lo apto a exercer as atividades cirúrgicas em sua região de atuação, ou seja, na face dos pacientes.

Durante os três anos de residência, o aluno irá aprender inúmeros tópicos sobre farmacologia, traumatologia, cirurgia oral menor, cirurgia maxilofacial, dentre muitos outros, para sair formado como Cirurgião Bucomaxilofacial.

Quando realizamos o programa de Cirurgia Bucomaxilofacial, nos tornamos aptos a atuar na especialidade que tem como principal objetivo realizar o tratamento estético de fraturas ósseas em face, diagnosticar, realizar o tratamento cirúrgico de lesões e doenças em face, anomalias presentes em face e a extração de elementos dentários mais complexos.

Há outros procedimentos que o Cirurgião Bucomaxilofacial está apto a realizar também, como drenagem de abscessos e cirurgias para correção de anomalias dentofaciais, ou seja, as tão famosas cirurgias ortognáticas.

Das doenças que o Bucomaxilofacial pode tratar, são compreendidas uma vasta lista de cistos e tumores dos maxilares, manifestações orais de doenças como a AIDS, Sífilis e tuberculose, assim como também cuidar do manejo do paciente que tenha câncer ou outras condições sistêmicas que afetem a cavidade oral.

Os procedimentos de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial são realizados tanto em âmbito ambulatorial como no centro cirúrgico. Tudo depende de sua complexidade e do quanto ela exigirá do cirurgião dentista.

Dentro dos consultórios, a nível ambulatorial, podem ser realizadas as extrações de elementos dentários ou terceiros molares, assim como ser feita a instalação de implantes sob anestesia local.

Já no centro cirúrgico, são realizados procedimentos mais complexos como reduções de fratura, drenagem de abscessos, cirurgias ortognáticas ou de articulação emporomandibular (ATM).

Benefícios de se fazer a residência bucomaxilofacial

Assim que o aluno de pós-graduação conclui o programa de residência, ganha o título de Cirurgião Bucomaxilofacial e poderá prestar concursos públicos para trabalhar no Sistema Único de Saúde. Ou então conseguir uma estabilidade financeira ou investir em montar sua própria clínica ou consultório particular para focar em procedimentos mais simples, como, por exemplo, exodontias ou biópsias.

O especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial também poderá seguir uma carreira acadêmica e investir na docência ou na área da pesquisa, onde publicará diferentes artigos e dará aulas para futuras turmas, com mestrado e doutorado.

Benefícios de se fazer a residência bucomaxilofacial
Fonte/Reprodução: original

De uma forma geral, a Residência em Bucomaxilofacial apresenta grandes vantagens além do título, principalmente quando comparados com a Especialização. O programa de Residência por si só já garante uma bolsa auxílio ao aluno de pós-graduação e apresenta maior carga horária e atividades para seus inscritos.

Além disso, e do nicho de mercado no qual o Cirurgião Bucomaxilofacial poderá atuar, temos também toda uma questão salarial que se torna benéfica ao concluir o programa de residência.

Em média, um Cirurgião Bucomaxilofacial recebe mensalmente cerca de R$ 3.800,00 no mercado de trabalho, com uma média de 24 horas semanais de trabalho. Claro que a renda mensal varia conforme o local de trabalho e se o profissional está em um posto de servidor público ou não, porém já é uma média boa, que pode aumentar a depender das especificidades da contratação.

Tópicos mais cobrados em uma residência bucomaxilofacial

Interessado em passar para um programa de Residência em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial? Pois bem, então com certeza você deve se perguntar quais devem ser os assuntos mais abordados para a prova de residência, não é mesmo?

No geral, os assuntos sempre rodeiam a temática da Cirurgia Bucomaxilofacial. Ou seja, sempre serão questões de Farmacologia, Estomatopatologia e Cirurgia propriamente dita. Entretanto, vale lembrar que cada edital tem uma bibliografia e tópicos específicos, assim como inúmeros processos de seleção distintos.

Mas, como assim? Há programas de Residência em Bucomaxilofacial que apresenta etapas que vão muito além das provas, com entrevistas e análises curriculares. Por isso, além de focar nos tópicos, é importante ter uma boa base científica para ser aprovado.

Para ajudar você nesse processo e guiar seus estudos dentro da Bucomaxilofacial, separamos os principais tópicos cobrados nas provas.

Patologia e Estomatologia

Estomatologia e Patologia são grandes tópicos presentes em cada prova. Aqui, podemos ter certeza de que iremos nos deparar com questões acerca dos cistos e tumores dos maxilares, fendas orofaciais, deformidades dentofaciais, princípios e diferentes técnicas de biópsia, síndromes, tumores em tecidos moles e doenças ósseas.

Anestesiologia

Anestesiologia é a base da Cirurgia Bucomaxilofacial, não é mesmo? Toda prova contém questões sobre técnicas anestésicas, tipos de anestésicos, complicações em anestesia local e, o terror de muitos estudantes: cálculo anestésico.

Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

É claro que teríamos questões sobre Cirurgia Bucomaxilofacial, não é mesmo? Aqui, observamos muitas questões sobre exodontias, implantodontia, classificação de fraturas mandibulares ou de terço médio da face, infecções odontogênicas, tratamento de cistos e tumores, ortognática, cirurgia da ATM, complicações em cirurgia oral e manejo do paciente politraumatizado.

Biossegurança

Biossegurança geralmente está bem pouco presente nas provas, mas sempre é importante ter em mente que pode cair questões sobre o tema, principalmente após o que vivenciamos com a COVID-19.

Urgências e Emergências

Urgências e Emergências médicas sempre estarão presentes nos concursos, afinal, é de extrema importância que o cirurgião-dentista esteja apto a saber como intervir em casos desse tipo.

Radiologia

Avaliação de exames radiológicos e suas indicações estão presentes com força dentro das provas de Residência em Bucomaxilofacial, principalmente para diagnóstico de fraturas e de lesões.

Anatomia oral e maxilofacial

E é claro que Anatomia não poderia faltar, não é mesmo? Sempre teremos questões de Osteologia, músculos da face e da mastigação, inervação e vascularização da face e sobre articulação temporomandibular.

Farmacologia

Por fim, a Farmacologia marca também presença nas provas com questões sobre controle da dor e da inflamação, antibioticoterapia, interações medicamentosas, controle da ansiedade e farmacologia dos anestésicos locais e vasoconstritores.

Interessado em cursar a residência em Bucomaxilofacial? Então já é hora de se preparar para as provas! E o Revisa Buco está aqui justamente para ajudar você a trilhar essa linda jornada. Confira nossos cursos e se prepare para se tornar um grande Cirurgião Bucomaxilofacial!