A importância da patologia bucal na Cirurgia Bucomaxilofacial

A importância da patologia bucal na Cirurgia Bucomaxilofacial

Se engana quem pensa que a patologia bucal é importante somente para a graduação em Odontologia. Pelo contrário, não só é bastante comum na rotina clínica de qualquer cirurgião dentista como, também, está presente em todos os editais espalhados pelo Brasil para a residência em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial.

A patologia bucal está relacionada de forma íntima com a Cirurgia Bucomaxilofacial, não só por conta das provas, como também para o diagnóstico e tratamento cirúrgico de qualquer lesão que esteja localizada dentro do complexo de atuação do cirurgião dentista. 

Por isso, separamos as principais informações a respeito desse tema bastante extenso e complexo, porém importante tanto para a prova como, também, para a residência em si – confira!

O que é a patologia bucal?

Em uma definição ampla e geral, o termo patologia tem origem grega, na qual pathos significa doença, enquanto logia significa estudo. Com esse aspecto geral em mente, podemos dizer que a patologia significa, em sua forma literal, o ‘’estudo das doenças’’. Nesse sentido, na disciplina, é possível aprender os mecanismos pelos quais a lesão se desenvolve, assim como as alterações que ela apresenta.

O que é a patologia bucal
Fonte/Reprodução: original

Ou seja, patologia bucal, ou também chamada de oral e maxilofacial, é definida como a especialidade ou disciplina dentro da Odontologia que realiza o estudo das características histopatológicas, morfológicas e funcionais das lesões que podem acometer os tecidos moles e duros das estruturas presentes no complexo maxilofacial. 

No âmbito de especialidade, o patologista realiza a análise histopatológica da lesão – previamente biopsiada -, assim como também análises bioquímicas e interpretação de exames complementares, como as radiografias ou tomografias, para a realização do correto diagnóstico. 


Como as doenças podem ser classificadas?

Dentro da patologia bucal, há uma série de lesões e condições que podem se manifestar na cavidade oral e nas estruturas maxilofaciais. Por isso, para fins didáticos, as doenças são classificadas em:

  • Doenças infecciosas por fungos, protozoários, bactérias ou vírus;
  • Neoplasias benignas ou malignas;
  • Cistos e tumores;
  • Doenças autoimunes;
  • Lesões potencialmente malignas;
  • Anomalias de desenvolvimento; 
  • Lesões físicas ou químicas;
  • Doenças alérgicas;
  • Patologia de glândulas salivares;
  • Tumores de tecido mole;
  • Patologia óssea.

Há, ainda dentro da classificação, as manifestações orais e maxilofaciais de doenças que podem acometer o indivíduo sistemicamente. No geral, a literatura divide a patologia bucal nesses grupos, que apresentam as mais variadas lesões de acordo com a sua natureza e com suas características únicas.

Qual a diferença entre patologia bucal e estomatologia?

Por mais que estejam intimamente interligadas entre si, a patologia bucal e a estomatologia apresentam diferenças significativas entre as duas especialidades. De uma forma ampla e geral, uma está relacionada ao diagnóstico clínico da lesão enquanto a outra ao laboratorial por meio da microscopia.

A patologia bucal estuda e analisa toda a etiologia, a natureza, a histologia e a morfologia da lesão por meio de técnicas como a microscopia, histoquímica e a imunoistoquímica. Ou seja, através desse estudo, o patologista pode dar o diagnóstico definitivo da lesão – o que faz com que o clínico saiba como conduzir o correto tratamento do mesmo.

Enquanto isso, a estomatologia é a especialidade que visa realizar o diagnóstico clínico da lesão e conduzir o seu tratamento. Os estomatologistas são os responsáveis por realizar as biópsias das lesões maxilofaciais e enviar para análise aos patologistas. 

Por fim, o cirurgião bucomaxilofacial também apresenta um grande papel no tratamento de muitas patologias e por isso as três especialidades trabalham em conjunto para garantir o melhor ao paciente.

Quais são os temas mais recorrentes de patologia bucal para a residência?

É muito comum nos depararmos, em qualquer edital de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, com bibliografias específicas e temas a respeito da patologia bucal e, até mesmo, da própria estomatologia. Com isso, muitos temas se tornam bem recorrentes nas provas ao redor do Brasil, facilmente encontrados na literatura sugerida.

Para facilitar os seus estudos e sua aprovação na residência, nossa equipe do RevisaBuco separou os 7 temas de patologia bucal e estomatologia mais comuns nas provas – confira!

Lesões potencialmente malignas 

Não só de grande importância para a prática clínica, as lesões potencialmente malignas são temas bem comuns de patologia bucal cobrados nas provas de residência. Essa classe é definida por lesões que apresentam potencial em se tornar malignos, como a leucoplasia, a eritroplasia e a leucoplasia.

Neoplasias malignas

Toda a proliferação desorganizada das células que provocam a invasão e a destruição dos tecidos adjacentes é conhecida como neoplasia maligna, capazes ainda de se disseminar para outras regiões através da metástase. No geral, um tema bastante recorrente para a prova é o carcinoma de células escamosas, o câncer oral, o mais comum na região da cabeça e do pescoço.

Cistos e Tumores

Cistos e tumores odontogênicos também são prevalentes, assim como os seus respectivos tratamentos. Por isso, focar em suas respectivas características clínicas e diferenças em cada tipo de tratamento é fundamental para ter bons resultados nas provas.

Síndromes

As síndromes que podem acometer o complexo maxilofacial também são temas bastante recorrentes. Nas provas, podem ser cobradas questões que peçam suas características clínicas, assim como possíveis etiologias, por isso é importante estar atento e saber diferenciar cada uma delas.

Infecções odontogênicas

Importante não só para a prática clínica do cirurgião-dentista, as infecções odontogênicas são temas mais do que presentes na prova! Questões como suas causas, os microrganismos envolvidos no desenvolvimento da infecção, possíveis complicações, espaços fasciais acometidos e tratamentos, que envolvem a remoção da causa e o uso de antibióticos, são importantes para a realização da prova.

Biópsia

Por fim, o procedimento de biópsia também se torna um tema bastante cobrado nas provas, afinal, não tem como haver um diagnóstico da patologia sem a realização deste exame. Os tipos de biópsia, assim como suas indicações, estão presentes nas questões de residência ao redor do país e é fundamental conhecê-las. 

Qual a importância da patologia bucal para a cirurgia bucomaxilofacial?

A patologia bucal está intimamente interligada com a Cirurgia Bucomaxilofacial em nossa prática clínica e hospitalar. A partir da consulta inicial com o cirurgião-dentista ou com o estomatologista, dependendo da lesão, é realizada a biópsia para que a amostra seja levada ao patologista. A partir do diagnóstico, poderemos saber se o tratamento será conduzido pelo próprio clínico ou, então, pelo cirurgião bucomaxilofacial.

A importância da patologia bucal para a cirurgia maxilofacial, além de ser fundamental e disciplina base para qualquer profissional da área, está no momento do tratamento. Saber reconhecer os principais sinais e sintomas de uma lesão, conduzir o caso e o seu tratamento é fundamental para qualquer cirurgião.

Bibliografia recomendada para estudar patologia bucal

Assim como os temas presentes nas provas, a bibliografia recomendada para estudar patologia bucal e ter bons resultados na realização de sua prova prática também pode mudar de acordo com cada edital. 

Bibliografia recomendada para estudar patologia bucal
Fonte/Reprodução: original

No entanto, é importante conhecer os principais títulos sobre o tema para que mais de uma fonte confiável seja consultada e toda a informação devidamente adquirida. Por isso, confira os principais livros recomendados para conhecer mais a fundo o tema:

  • Patologia Oral e Maxilofacial, de Neville;
  • Atlas de Patologia Oral e Maxilofacial, de Neville;
  • Patologia Oral, da série Abeno;
  • Medicina Oral e Maxilofacial, de Scully;
  • Patologia Oral: Correlações clinicopatológicas, de Regezi.

Esses títulos, geralmente encontrados nas principais livrarias e lojas online do Brasil, possuem uma vasta coletânea de temas e assuntos dentro da patologia bucal que podem ser cobrados nas provas de residência. Por isso, sempre fique atento ao edital e tenha esses livros em mãos para uma boa prova.

São muitos os temas de patologia bucal cobrados nas provas de residência, afinal, seu conhecimento teórico e clínico são de grande importância na rotina do Cirurgião Bucomaxilofacial. Além disso, para obter bons resultados em sua prova, você pode contar com o nosso módulo de Patologia Oral e Maxilofacial, presente nos cursos EAD e presenciais do RevisaBuco!